terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Homens: surpreendam-nos!

Queridos nossos: na dúvida, ajam com novidade. Secretamente, o súplico feminino para que alguma pequena surpresa ocorra e nos salve o dia é grande. Preocupadas em valorizar quase sempre a ligação especial a que participam, surgindo inesperadamente com algo que marque na história do outro e faça o presente valer a pena. É também uma grande reciprocidade esse poder de dignificar de forma singular e de repente, tudo aquilo que se sente: como na magia, um coelho tirado da cartola; na poesia, uma rima inteligentemente iluminada. Surpresas!

Sermos pegas desprevenidas positivamente com pequenas doçuras, mimos e agrados quase sempre tem fator altíssimo de renovação instantânea. Combate ainda à mesmice feijão com arroz - com gosto bom mas que pode ser muito melhor - a que muitos casais se submetem. Ou à dúvidas destemperadas, cavando lugar para que a paranoia comece e a insegurança se acomode. É capaz de também amortecer os efeitos a longo prazo trágicos que a rotina implica nos relacionamentos modernos. Um pequeno sobressalto daquilo que nem se imaginava mas que acelera o meio do peito e faz pulsar de adrenalina o sangue nas veias: a recompensa é sempre alegre e no formato de abraço forte, num jeito que de pra tantos beijos espalhados pelo rosto como agradecimento se comportem.

Vale desde um bilhetinho na agenda, cartão escondido dentro de embrulho, flores sem motivo numa tarde qualquer de verão - onde ela está se matando de trabalhar, enquanto deseja o sol, exercícios e estar numa piscina. Convite repentino para viagem, um susto atrás da porta assim que as unhas recém feitas ajudarem no giro da maçaneta, uma pequena festinha combinada aos mais chegados quando for seu aniversário. Aquele "eu te amo" enquanto assistem televisão e ela nem sequer havia sonhado com. Um beijo daqueles desgovernados enquanto ela cozinha - mas que encontre um caminho depois de um tempo e não queime o arroz. Mensagens quando ela é sugada pelas tarefas diurnas, o seu prato favorito, chocolate predileto, ou mesmo apenas pequenas lembranças escritas numa carta de declaração sentimental são capazes daquilo que só os desassossegados sabem: o encantamento de fugir um pouquinho da realidade para se achar especial enquanto o outro é também. Só o que não é válido é temer um tantinho de ousadia, afinal, no mínimo algumas boas risadas serão compartilhadas em cumplicidade - o que também é antídoto anti-envelhecimento de quem muito se gosta. O charme de se amar e vencer a tudo aquilo que de qualquer forma tenta atrapalhas por não conseguir nem ao menos chegar aos pés do que é amor.